terça-feira, 24 de março de 2015

A linha tênue entre jornalismo investigativo e entretenimento

A Folha de domingo (22) traz matéria (confira aqui) que discute a linha tênue entre jornalismo investigativo e entretenimento. Em alguns casos, a própria investigação oficial é atrapalhada pelas apurações jornalísticas. Mas o ponto principal não é esse, a nosso ver. O desafio é pensar os motivos pelos quais somos atraídos por histórias macabras, que mostram os extremos de violência que o ser humano é capaz.

Cabe refletir: isso é saudável? Há consequências? Inúmeros estudos mostram que a mídia desperta atos violentos em pessoas pré-dispostas. Outra consequência relacionada: os criminosos ficam glamourizados, uma espécie de pop stars. A nosso ver, esse deve ser um tema em discussão tanto de comunicadores como do público, que pode ver a programação com olhar mais crítico. Concorda? Compartilhe!